Treinamentos horizontais para tempos horizontais - La Gracia

Posted by | junho 27, 2017 | Dicas, Mídia, Variedades | No Comments

Matéria publicada originalmente no Blog da Robert Half por Luiz Grecov.

treinamento

Diante de tantas crises, política, financeira e institucional, do ano passado para cá, não foram poucas as empresas – grandes e pequenas – que passaram por situações como demissões, corte de custos, cancelamento de projetos, enxugamento de operações…

Apesar, ou até mesmo por causa disso, o investimento em treinamento e desenvolvimento cresceu.  Um estudo realizado pela ABTD (Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento)*, com coordenação e análise da Integração Escola de Negócios, aponta crescimento de 24% no valor investido por colaborador.

Mesmo frente a tantos desafios, parece que ninguém quer ficar para trás. Em um cenário como esse, o papel de quem é responsável pela educação corporativa se torna ainda mais estratégico. Sob pressão para alcançar resultados, é essencial ser assertivo na escolha dos treinamentos e garantir que o desenvolvimento profissional realmente aconteça.

Nessa linha, lembro-me que há algum tempo, ainda num momento mais calmo, a La Gracia, consultoria de comunicação da qual sou sócio, promoveu encontros com profissionais de RH de grandes empresas para discutir problemas, dúvidas e vislumbrar soluções.

O resultado desses encontros? Sobre isso falo mais adiante. Mas, primeiro, queria falar sobre a experiência em si, pois acredito que mais do que o que foi gerado a partir dali, o formato das reuniões é o grande trunfo para enfrentar, não só esse momento, como diversos dos dilemas enfrentados no desenvolvimento de pessoas, como falta de engajamento e dificuldade na retenção de talentos.

Veja, reunidos ali estavam não apenas gerentes ou diretore(a)s, mas pessoas que, com perfis distintos, de diferentes companhias e dos mais variados segmentos, compartilhavam das mesmas dores e tinham reflexões variadas a fazer sobre elas.

Justamente por essa variedade de experiências é que todos puderam, de maneira horizontal, chegar a conclusões profundas e sair das reuniões com a sensação prazerosa de terem se conectado, aprendido e contribuído para melhorar as coisas.

Agora, vamos fazer um exercício imaginativo e levar isso para dentro das companhias…

Imagine profissionais de diferentes níveis, não apenas diretores que solicitam treinamentos como aqueles que participarão deles, além de pessoas de outros departamentos que podem contribuir com uma visão de fora, todos reunidos em um ambiente que permita a troca de ideias, de maneira igualitária. Quantas percepções e soluções valiosas não sairiam dali?

Claro que não há mágica, mas no mundo em que vivemos hoje, o simples ato de estar disposto a escutar, demonstrar empatia e abrir espaço para o diálogo, permitindo que colaboradores possam, de fato, contribuir com as soluções, já gera resultados imediatos como engajamento, sensação de pertencimento e aquele espírito de equipe que todo bom time tem e, claro, toda empresa almeja.

É um momento novo, onde muitas companhias já estão buscando formatos mais horizontais não só para essa questão específica, mas para sua gestão como um todo. Aliás, assim como a própria La Gracia.

Fico muito feliz por, além de estarmos aprimorando nossa gestão cada vez mais nesse sentido, também estarmos ajudando algumas empresas a resolver problemas complexos através de experiências dialógicas.

E você, tem algo a contribuir com essa discussão? Sinta-se à vontade para comentar suas experiências e compartilhar um pouco do que você tem visto por aí.

Ah! E sobre o resultado dos encontros que comentei lá em cima, produzimos um e-book que você pode baixar clicando aqui.

Deixe um comentário

Seu email não será publicado. Campo obrigatório.