fbpx

La Gracia Humaniza

conteúdo

6 dicas para uma apresentação matadora

Priscila Alvim
@priscila

Matéria publicada originalmente na Work Fife por Adriana Fonseca. Em algum momento da carreira, todo profissional enfrenta o desafio de fazer uma apresentação. Poder ser algo para sua própria equipe, seu chefe, fornecedores, clientes. Independentemente do público-alvo, importante seguir alguns passos para cativar a audiência e vender sua ideia. Para ajudar você nessa missão, pedimos ajuda para […]

Matéria publicada originalmente na Work Fife por Adriana Fonseca.

Em algum momento da carreira, todo profissional enfrenta o desafio de fazer uma apresentação. Poder ser algo para sua própria equipe, seu chefe, fornecedores, clientes. Independentemente do público-alvo, importante seguir alguns passos para cativar a audiência e vender sua ideia.

Para ajudar você nessa missão, pedimos ajuda para uma consultoria especializada em comunicação corporativa. A La Gracia listou as dicas abaixo. Leia com atenção e crie sua própria apresentação matadora.

1 – ORGANIZE AS IDEIAS
O primeiro passo para uma apresentação matadora é organizar suas ideias fora do PowerPoint ou de qualquer outra ferramenta de slides. Essa é a hora do velho, porém sempre na moda, papel. Ou, se preferir, utilize o Word mesmo.

Escrever um discurso é fundamental para construir uma linha de raciocínio que amarre toda a apresentação. Isso ajuda a resolver problemas como falta de organização, de objetividade e de coerência. Além disso, escrever é uma forma de estudar e se preparar para a “hora do show”.

2 – O QUE É ÓBVIO PARA VOCÊ, NÃO E ÓBVIO PARA O OUTRO
Para que o discurso funcione, é essencial colocar-se no lugar do público. Procure perceber o que é relevante para a sua audiência, quais são as suas necessidades e qual é o conhecimento prévio da plateia, ou seja, o que as pessoas sabem a respeito do assunto que você vai abordar. Quando souber todas essas informações, trabalhe seu conteúdo pensando nessa realidade. O público só vai se identificar se conseguir se enxergar na história que está sendo contada.

Se o grupo for muito eclético, procure um ponto de interesse mútuo, algo que os una para que sua mensagem converse com a maioria.

A linguagem deve ser acessível. Se precisar utilizar termos técnicos ou em inglês, certifique-se de que todos estão habituados a eles e, se não for o caso, traga traduções. Quando nosso cérebro não entende algo ou não se identifica com o assunto, ele desliga e você perde o espectador.

Utilize metáforas, conte histórias, faça analogias. Esforço para gerar compreensão nunca é demais.

3 – DESPERTE O INTERESSE
Apresentações são como filmes, precisam de elementos que mantenham o público atento. Traga os “vilões” para sua apresentação. É importante que o cérebro da plateia seja estimulado a pensar e a solucionar problemas junto com você. Por isso, pense sempre em necessidades e dificuldades a serem resolvidas pelo assunto que você está abordando, faça perguntas para seu público, abra discussões.

4 – COMPROVE SEU PONTO DE VISTA
A argumentação é parte fundamental da apresentação. E para que ela tenha força e credibilidade, deve ser baseada em dados externos. É o famoso “não sou eu quem está dizendo”. Traga dados estatísticos, pesquisas, especialistas que apoiem o que está sendo dito. Saia do achismo.

Outro ponto importante é a condução do público até o resultado. O discurso não pode ser impositivo, mas sim construído junto com o público para que ele chegue à conclusão sozinho. O apresentador deve ser um condutor do pensamento.

5 – SLIDES PARA QUEM?
A sua resposta para essa pergunta vai definir o destino da sua apresentação. Por isso pense bem antes de responder.
a) para o apresentador
b) para o público

Pensar que o slide é para o apresentador é um problema. Quando utilizamos o slide para nos lembrar do que temos a dizer, tendemos a colocar todo o discurso na tela e, se todo o texto está na tela, eu preciso de um apresentador? Não. O público consegue ler sozinho e é isso que ele vai fazer. A primeira coisa que a plateia faz ao ver um slide na tela é olhar para ele.

Os slides são um apoio para que o público visualize mais rápido o que você está dizendo. Por isso, devem ser fáceis de entender, para que a audiência olhe para eles, compreenda a mensagem e volte a prestar atenção no apresentador.

A dica é “enxugue” o slide. Selecione o que vai ficar na sua fala e o que vai para o slide e deixe na tela apenas o que for essencial para uma melhor compreensão e visualização da mensagem. Utilize contraste para destacar as informações mais relevantes. Construa uma hierarquia e um fluxo de leitura, direcione o olhar da plateia.

As animações são ótimas para ditar o tempo da sua apresentação, use-as com moderação para que as informações apareçam no slide acompanhando seu discurso, seguindo o raciocínio. De novo: é seu papel facilitar a vida do público. Se as pessoas tiverem que decodificar o material, elas vão se dispersar.

6 – PREPARE-SE PARA A HORA DO SHOW
Se você tomou todos os cuidados para preparar uma apresentação clara e interessante, não pare agora! Prepare-se para o grande momento de fazê-la chegar até as pessoas. Estude seu discurso, apresente para o espelho, para os amigos, família, colegas e peça a opinião deles. Uma das técnicas mais eficazes é a de filmar a si mesmo. Ao assistir sua performance, você consegue identificar os ruídos, para depois eliminá-los. Concentre-se nos movimentos das mãos, na postura e volume da voz. Tudo o que estiver demais ou de menos roubará a cena, por isso deve ser trabalhado. Tente perceber se existe algum vício de linguagem (“né?”, “tipo”, “e aí”). Caso sejam identificados, devem ser eliminados também.

Humanize as
apresentações, as
relações e o aprendizado
na sua empresa.

Fale com a gente

Veja também

CEO DISTANTE E INTOCÁVEL? COMO HUMANIZAR A ORGANIZAÇÃO

Já passou da hora de repensar modelos e humanizar a organização. Cada vez mais, vemos publicações de colaboradores nas redes sociais expondo angústias que se transformaram em burnout, depressão, doenças mentais e até mesmo físicas. Ou denunciando o desalinhamento do discurso que o marketing vende lindamente para fora pras práticas aplicadas internamente pelas lideranças, pelo […]

Ler mais

POR UMA LIDERANÇA MAIS INCLUSIVA

Para falar sobre uma liderança mais inclusiva, começo o texto de hoje com uma pergunta: “Por que é tão difícil lidar com o que é diferente de nós?”  Não tenho pretensão de responder, afinal, essa é uma pergunta daquelas bem cabeludas, que exigiria reunir filósofos para uma discussão longa e calorosa, regada a vinho e […]

Ler mais

E quando você precisa de mais do que um tapa na apresentação?

“Dá um tapa na apresentação aí! É simples.” Se eu tivesse contado as vezes que ouvi certas frases nos últimos 13 anos, esse com certeza ganharia de todas. Nossa, quase todo mundo pede apresentação desse jeito. Mas só quem faz apresentação todos os dias sabe que não é tão simples assim. Uma apresentação boa de […]

Ler mais

Qual a diferença entre um slide bonito e um slide com design?

Muito além de criar um slide bonito, recentemente, no artigo “A La Gracia ainda faz apresentações?”, eu disse que a La Gracia nasceu criando conexão por meio de apresentações. E tudo o que a gente foi aprendendo, ao fazer apresentações para presidentes e executivos do corporativo, fomos levando para nossos cursos. E tudo o que […]

Ler mais

Qual a diferença entre promover experiência e expor conteúdo?

Promover experiência é a constante resposta, presente nos 12 anos em que venho experimetando as várias formas de ensinar. Cada vez mais, vou me tornando uma defensora das metodologias que colocam o aluno como centro do aprendizado. O contrário disso é o que o educador Paulo Freire chamava de Educação Bancária: aquele tipo de educação que coloca […]

Ler mais