Na primeira consulta...

null

Sra. A:

“Nós temos um novo plano de previdência para ser apresentado e implementado para 10 mil pessoas e precisamos fazer uma única apresentação, com um visual bem feito.”

null

La Gracia:

“Quem são as pessoas? Quantos perfis diferentes existem? Qual a realidade deles hoje? Vocês estão pensando em quantos formatos diferentes para a mesma apresentação? Qual o principal sentido (benefício) do novo plano para cada um desses públicos? Se eles quiserem saber mais sabre o assunto, onde iriam procurar?”

Depois de investigar,

…chegamos a algumas descobertas

Os donos do projeto, ou seja, a Sra. A e sua equipe, eram profundos conhecedores do assunto.

Mas eram, ao mesmo tempo, extremamente técnicos, o que dificultava a compreensão por parte dos demais colaboradores com relação ao novo plano e seus benefícios.

Para piorar, não se tratava de uma simples apresentação, mas de um projeto de implementação do novo plano com uma meta de adesão a ser atingida em até 6 meses.

Além disso, percebemos que uma apresentação única não seria o suficiente, já que teríamos que lidar com diversos públicos, todos bem diferentes entre si.

Existiam vários cenários: quem já tinha plano de previdência, quem não tinha, quem nunca teve, quem não entendia o que era, gente satisfeita, gente insatisfeita etc.

A mesma mensagem não fazia sentido pra todo mundo, então, era preciso adaptar a cada público e a cada ambiente.

Ser diretivo poderia colocar tudo a perder já que existia uma meta, mas não uma obrigatoriedade, e isso deveria estar muito claro.

Conectando pessoas...

Preparamos os discursos, os roteiros e os slides, garantindo uma linguagem fácil de entender e um visual único, adequado à imagem que a empresa queria transmitir.

Desenvolvemos um sentido (mensagem/conceito) principal para todas as apresentações, que representava o principal benefício do novo plano: uma mochila que transmitia a ideia de poder levar o plano de previdência para qualquer lugar, inclusive ao sair da empresa e poder colocar o que quiser – total controle sobre o que vai investir, guardar ou gastar.

Ajudamos a escolher os apresentadores para atender a cada perfil de público, analisando características comportamentais, tais como: humor, carisma, erudição, timidez etc. (para falar com a diretoria, por exemplo, precisava ser mais objetivo e desenvolto.)

Outro desafio com relação ao conteúdo eram as simulações, complexas mas necessárias para o real entendimento não só dos possíveis ganhos como também das diferenças entre o novo plano e o atual. Para isso, encontramos uma linguagem simples e visual que tornou mais fácil a compreensão.

... E inspirando transformação!

null

Sra. A:

“O entendimento de todos foi altíssimo. Atingimos as metas 45 dias antes dos prazos.”

A partir das conversas e sugestões que surgiram, a equipe pôde traçar uma estratégia envolvendo outras frentes de atuação.

  • Comunicação interna, com ações em áreas de circulação comum, como nos refeitórios.
  • Lâmina impressa resumindo os principais pontos das apresentações.
  • 0800 para esclarecimento de dúvidas.
  • Atualização do website.

Para refletir

Não é porque eu conheço todo o conteúdo que isso garante o sucesso de um projeto.

É preciso sentar e analisar o todo, ter visão sistêmica e clareza sobre o que se quer atingir e com quem você está falando.

Com isso, adaptar a mensagem e o jeito de transmiti-la para cada público e situação.

Quer ajuda para melhorar
a comunicação na sua empresa?