fbpx

La Gracia Humaniza

conteúdo

Cliente, a chave para o sucesso

Priscila Alvim
@priscila

Quase como um mantra, frases como a do título acima são repetidas à exaustão por empresas de todos os segmentos e tamanhos. Mas será que, na prática, a peça mais importante do processo de vendas está realmente sendo levada em consideração pelas empresas e suas equipes de vendedores?

Quase como um mantra, frases como a do título acima são repetidas à exaustão por empresas de todos os segmentos e tamanhos. Mas será que, na prática, a peça mais importante do processo de vendas está realmente sendo levada em consideração pelas empresas e suas equipes de vendedores?

Certa vez fui a um restaurante de uma grande rede e, logo na entrada, percebi que todos os colaboradores tinham passado por um bom treinamento. Tinham boa postura, eram extremamente educados e com um discurso bem construído. Pareciam bem atenciosos e prontos para ajudar. Desde que tudo acontecesse dentro de um roteiro bem estabelecido, é claro. Bastou que eu reclamasse que a carne não estava no ponto que eu desejava – uma situação simples de se resolver – e tudo foi por água abaixo. O garçom, apesar de muito solícito, não trouxe uma solução adequada.

Como preparar a equipe para conseguir clientes satisfeitos

Cenas como essas não são raras. Alguns dos erros mais comuns encontrados em estratégias de vendas estão relacionados à falta de preparo para, justamente, lidar com o consumidor. Deparamo-nos com discursos prontos e decorados, focados apenas nos produtos, muitas vezes com linguagens extremamente técnicas e de difícil compreensão. Principalmente em uma época em que todos têm acesso a todo tipo de informação e as pessoas estão cada vez mais presentes e participativas, não dá para sermos impositivos. É preciso dialogar e, principalmente, ouvir.

Como transformar essa realidade?

Essa é uma transformação que deve começar na base, na hora do treinamento. E, já que tocamos no assunto, se procurarmos as definições de treinamento no dicionário, vamos encontrar termos como acostumar e adestrar. Algo que subentende um esforço repetido, padronizado, exatamente o tipo de comportamento que podemos e devemos evitar.

É importante que a equipe saiba tudo sobre o produto e seja incentivada com metas e bonificações? Com certeza! E para isso os treinamentos já dão bastante atenção. A parte que falta é justamente a mais importante. O consumidor só será a chave para o sucesso se a equipe de vendas for capaz de entendê-lo. E não falo em definições mercadológicas e genéricas como classe A, B ou C, homem ou mulher, faixa etária ou grau de escolaridade. Ao oferecer produtos ou serviços para um consumidor, é preciso pensar como um, ou seja, se colocar no lugar dele e tentar entender suas necessidades. Os discursos decorados não funcionam, pois, mesmo que tenha um perfil semelhante, as pessoas não são iguais. É preciso conversar de maneira única com cada uma delas, ajudando-as a enxergar de que modo aquele produto ou serviço lhes atenderá.

Levando em consideração a definição de treinamento que levantamos, vou fazer uma proposta: que tal deixarmos de treinar nossas equipes e começarmos a prepará-las? Desenvolver habilidades como empatia e didática permitirá que saibam agir de acordo com as diferentes situações e estejam preparados para oferecer soluções em vez de produtos. Menos mecânico, mais eficaz.

 

Humanize as
apresentações, as
relações e o aprendizado
na sua empresa.

Fale com a gente

Veja também

CEO DISTANTE E INTOCÁVEL? COMO HUMANIZAR A ORGANIZAÇÃO

Já passou da hora de repensar modelos e humanizar a organização. Cada vez mais, vemos publicações de colaboradores nas redes sociais expondo angústias que se transformaram em burnout, depressão, doenças mentais e até mesmo físicas. Ou denunciando o desalinhamento do discurso que o marketing vende lindamente para fora pras práticas aplicadas internamente pelas lideranças, pelo […]

Ler mais

POR UMA LIDERANÇA MAIS INCLUSIVA

Para falar sobre uma liderança mais inclusiva, começo o texto de hoje com uma pergunta: “Por que é tão difícil lidar com o que é diferente de nós?”  Não tenho pretensão de responder, afinal, essa é uma pergunta daquelas bem cabeludas, que exigiria reunir filósofos para uma discussão longa e calorosa, regada a vinho e […]

Ler mais

E quando você precisa de mais do que um tapa na apresentação?

“Dá um tapa na apresentação aí! É simples.” Se eu tivesse contado as vezes que ouvi certas frases nos últimos 13 anos, esse com certeza ganharia de todas. Nossa, quase todo mundo pede apresentação desse jeito. Mas só quem faz apresentação todos os dias sabe que não é tão simples assim. Uma apresentação boa de […]

Ler mais

Qual a diferença entre um slide bonito e um slide com design?

Muito além de criar um slide bonito, recentemente, no artigo “A La Gracia ainda faz apresentações?”, eu disse que a La Gracia nasceu criando conexão por meio de apresentações. E tudo o que a gente foi aprendendo, ao fazer apresentações para presidentes e executivos do corporativo, fomos levando para nossos cursos. E tudo o que […]

Ler mais

Qual a diferença entre promover experiência e expor conteúdo?

Promover experiência é a constante resposta, presente nos 12 anos em que venho experimetando as várias formas de ensinar. Cada vez mais, vou me tornando uma defensora das metodologias que colocam o aluno como centro do aprendizado. O contrário disso é o que o educador Paulo Freire chamava de Educação Bancária: aquele tipo de educação que coloca […]

Ler mais