fbpx

La Gracia Humaniza

conteúdo

Escreva desenhando

La Gracia Humaniza
@lagracia

Não é raro “emprestarmos” ideias de outros meios, principalmente do cinema, na hora de criar apresentações. Da sétima arte vem dicas preciosas sobre como contar histórias e emocionar o público (veja esse ótimo TED com o roteirista de Wall-E e Toy Story), referências visuais (já conferiram o post “Bonita ou Inteligente”, aqui no Q Pasa?) […]

Não é raro “emprestarmos” ideias de outros meios, principalmente do cinema, na hora de criar apresentações. Da sétima arte vem dicas preciosas sobre como contar histórias e emocionar o público (veja esse ótimo TED com o roteirista de Wall-E e Toy Story), referências visuais (já conferiram o post “Bonita ou Inteligente”, aqui no Q Pasa?) e até mesmo ensinamentos sobre como se tornar um orador melhor (já assistiu ao “Discurso do Rei”?).

Recentemente, Garr Reynolds (um dos principais “gurus” de apresentação do mundo), fez um post em seu site sobre os storyboards. Vou compartilhar algumas das ideias centrais do texto dele, mas caso você queira ver o post original (em inglês), é só clicar aqui.

“Aqui não escrevemos nossas histórias, nós as desenhamos.”
— Walt Disney

Ferramenta muito utilizada no cinema e difundida pelos estúdios Disney em meados de1930, o storyboard é uma maneira mais simples de “contar a história” antes de entrar de cabeça na produção do filme. Assista aos vídeos abaixo para entender melhor, caso você nunca tenha ouvido falar sobre isso.

Transferindo alguns dos conceitos para o mundo corporativo, as vantagens são muitas, principalmente para quem está desenvolvendo a apresentação em grupo. É uma maneira fácil e rápida de checar se algumas das suas ideias vão realmente funcionar na prática. Além disso, facilita a colaboração, pois é possível colar o storyboard sobre uma parede ou mural e permitir que todos tenham uma visão geral do projeto e do fluxo de informações. Caso novas ideias surjam, elas podem ser testadas e discutidas ali mesmo.

Existem algumas outras possibilidades. Aqui na La Gracia, por exemplo, utilizamos o storyboard para:

– deixar alguma ideia ou conceito mais claro na hora de apresentar o roteiro para um cliente
– o roteirista explicar ao designer como imaginou determinado slide
– no caso dos PPT’s Vídeos, planejar todo o projeto antes de começar a montagem da animação

Antes que alguém diga “ah, mas não sei desenhar!”, calma, você não está só nessa aflição. Por mais que nosso pensamento aconteça de modo “visual”, e não através de palavras, a grande maioria das pessoas está desacostumada a passá-los assim para o papel. Isso é algo que a gente sente em nossos cursos, principalmente nas aulas de conceito onde as pessoas exercitam bastante esse processo.

O começo é sempre mais difícil e leva um tempo para as ideias começarem a fluir, mas a boa notícia é que você não precisa ser um bom desenhista ou um Walt Disney para fazer storyboards, eles podem ser rudimentares ou mesmo feito com figuras do próprio PowerPoint. Você só precisa que eles passem a ideia do slide. Veja alguns exemplos abaixo.

story1

story2

Note que existem diferenças no que foi pensado com relação ao resultado final. Isso é normal na hora de passar pro computador. O importante é que a essência está lá, é a mesma ideia.

E aí, que tal começar a desenhar suas apresentações? Depois volte aqui e nos conte como foi a experiência!

Humanize as
apresentações, as
relações e o aprendizado
na sua empresa.

Fale com a gente

Veja também

CEO DISTANTE E INTOCÁVEL? COMO HUMANIZAR A ORGANIZAÇÃO

Já passou da hora de repensar modelos e humanizar a organização. Cada vez mais, vemos publicações de colaboradores nas redes sociais expondo angústias que se transformaram em burnout, depressão, doenças mentais e até mesmo físicas. Ou denunciando o desalinhamento do discurso que o marketing vende lindamente para fora pras práticas aplicadas internamente pelas lideranças, pelo […]

Ler mais

POR UMA LIDERANÇA MAIS INCLUSIVA

Para falar sobre uma liderança mais inclusiva, começo o texto de hoje com uma pergunta: “Por que é tão difícil lidar com o que é diferente de nós?”  Não tenho pretensão de responder, afinal, essa é uma pergunta daquelas bem cabeludas, que exigiria reunir filósofos para uma discussão longa e calorosa, regada a vinho e […]

Ler mais

E quando você precisa de mais do que um tapa na apresentação?

“Dá um tapa na apresentação aí! É simples.” Se eu tivesse contado as vezes que ouvi certas frases nos últimos 13 anos, esse com certeza ganharia de todas. Nossa, quase todo mundo pede apresentação desse jeito. Mas só quem faz apresentação todos os dias sabe que não é tão simples assim. Uma apresentação boa de […]

Ler mais

Qual a diferença entre um slide bonito e um slide com design?

Muito além de criar um slide bonito, recentemente, no artigo “A La Gracia ainda faz apresentações?”, eu disse que a La Gracia nasceu criando conexão por meio de apresentações. E tudo o que a gente foi aprendendo, ao fazer apresentações para presidentes e executivos do corporativo, fomos levando para nossos cursos. E tudo o que […]

Ler mais

Qual a diferença entre promover experiência e expor conteúdo?

Promover experiência é a constante resposta, presente nos 12 anos em que venho experimetando as várias formas de ensinar. Cada vez mais, vou me tornando uma defensora das metodologias que colocam o aluno como centro do aprendizado. O contrário disso é o que o educador Paulo Freire chamava de Educação Bancária: aquele tipo de educação que coloca […]

Ler mais