Matéria publicado originalmente no site da revista Época Negócios.

NEM PENSE EM COMETER UM DOS ERROS MAIS COMUNS DOS CANDIDATOS: LER O CURRÍCULO EM FRENTE À CÂMERA

Comum nos Estados Unidos e na Europa, o currículo em vídeo vem ganhando força no Brasil. Apesar de ainda ser considerado um diferencial, muitas empresas já estão colocando o formato em seus processos seletivos.

Para Camila Laguzzi, coordenadora da La Gracia, empresa que presta consultoria para apresentações, a prática deve se tornar mais comum na medida em que a internet e as novas tecnologias evoluírem e se tornarem mais acessíveis. “Com a internet, fica mais fácil para as pessoas produzirem conteúdos pessoais. Não é necessário contratar alguém ou investir dinheiro. O processo de produção está cada vez mais fácil e acessível, já que as câmeras dos celulares estão mais potentes também”, afirma Camila.

Seja para impressionar os recrutadores ou para ultrapassar mais uma etapa do processo seletivo, gravar um vídeo falando de si mesmo não está na lista das coisas mais fáceis para se fazer, mesmo para quem é considerado “multimídia”. Época NEGÓCIOS listou o passo a passo para não queimar seu filme e ter ainda mais chances de ser contratado.

1º passo: Pesquise sobre a empresa
Perceber o que a empresa quer é fundamental para começar a gravar. Saiba quais são as características desejadas. “Nessa primeira fase, é importante pesquisar o mercado em que você quer atuar. Pesquise também a empresa e identifique alguma necessidade. Nunca faça algo genérico para mandar para diversas empresas. Você precisa falar diretamente com o seu público. Faça algo exclusivo e direcionado”, afirma Camila.

2º passo: Crie um roteiro criativo
Depois de colher informações sobre a empresa e o mercado, é hora de criar um roteiro. Detalhe: não basta tê-lo na sua cabeça – o ideal é passar tudo para o papel. “Uma boa ideia é gravar um vídeo falando de alguma experiência pessoal ou profissional, algo que crie a expectativa de que você vá trazer benefício real à empresa”. Para Camila, o objetivo do vídeo é mostrar para os recrutadores as competências e características que traduzam o que o candidato é e também que ele se encaixa nas necessidades da empresa. “Nessa etapa, um dos maiores erros dos candidatos é não planejar o vídeo e apenas ler o próprio currículo em frente à câmera”.

Dica: Não faça vídeos longos. O ideal é que o filme tenha no máximo um minuto. “O vídeocurrículo é uma apresentação. É como na publicidade – você tem que falar o que o produto tem de melhor em poucos segundos”.

3º passo: Preocupe-se com o visual
Nada de choro de criança, telefone tocando ou som de televisão.  Preocupe-se com todos os itens que possam roubar a atenção do recrutador. “Nessa hora, pequenos detalhes fazem a diferença. Evite cores muito chamativas, por exemplo. Até a cor do concorrente pode atrapalhar”.

Assim como em qualquer entrevista de emprego, é essencial planejar o que vestir para aparecer na tela. Para advogados, por exemplo, um terno bem alinhado é fundamental. “Até um corte de cabelo diferente pode trazer a ideia que você é um profissional criativo e busca inovação”.

A qualidade da imagem da gravação não é o item mais importante, basta que a imagem fique nítida.

4º passo: Tenha boa postura
Na hora de gravar, é importante falar o português correto, saber a entonação das palavras e ter boa postura. “O vídeo permite que o recrutador olhe no olho no candidato e perceba coisas que são impossíveis de notar no currículo impresso”.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Enviar comentário