fbpx

La Gracia Humaniza

conteúdo

O resgate do ser humano: como se dá a humanização na prática?

La Gracia Humaniza
@lagracia

Painel no HR Mind Move 2020, com mediação e participação de Joy Baena, discute como a humanização é um caminho sem volta para, neste mar de tecnologia, conseguirmos resgatar o ser humano. 

Painel no HR Mind Move 2020, com mediação e participação de Joy Baena, discute como a humanização é um caminho sem volta para, neste mar de tecnologia, conseguirmos resgatar o ser humano. 

Uma dessas pessoas toca piano. Outra, costumava ensinar história. Uma pessoa resgatava cachorros na rua e ainda há outra que criava cabras. Você consegue dizer quem é quem?

Sebastião Faria Jr., gerente de Educação Corporativa da MSD Saúde Animal, Luiz Ricardo, gerente da Academia de Vendas da Seguros Unimed, Joy Baena, CEO da La Gracia, e Ed Conde, consultor em efetividade do conhecimento.

Assim foi a introdução dos quatro participantes do painel “O resgate do ‘ser’ humano”, no HR Mind Move 2020, evento realizado pela Ebdi, em São Paulo, nos dias 19 e 20 de fevereiro.

O tema deste ano foi “Entre a emoção e a técnica: o futuro do treinamento na era da transformação”. Assim, quando a La Gracia foi novamente convidada para comandar um dos painéis do evento, logicamente que optamos por falar sobre humanização.

A ideia inicial era debater como podemos resgatar o ser humano neste mar de tecnologia que parece nos engolir mais a cada dia. Neste sentido, falamos do indivíduo em si, mas também da humanidade que parece um tanto esquecida em muitas relações, em especial nas profissionais.

 

Recursos humanos. E subjetivos e imperfeitos

“Não somos máquinas”, disse Joy Baena em sua fala introdutória. “Nossa família, a escola, os colegas, o trabalho… foram nos moldando de uma forma que hoje usamos máscaras para sermos aceitos. A máscara da inteligência, da beleza, da força, da perfeição. Só que o ser humano não é perfeito. Somos imperfeitos, não é mesmo?”, disse.

Junto com Joy, CEO da La Gracia, estavam Sebastião Faria Jr., Gerente de Educação Corporativa da MSD Saúde Animal, Ed Conde, facilitador da La Gracia e especialista em didática e compreensão, e Luiz Ricardo Araújo, Gerente da Academia de Vendas na Seguros Unimed. Em relação ao tema, ao falar sobre sua experiência na área de treinamento, Luiz destacou que “a tecnologia é importante, claro, mas como ferramenta. Antes de qualquer coisa o que vem é o ser humano”.

 

Como empoderar o RH?

Após uma fala inicial de cada painelista, as pessoas foram convidadas a, em grupos, pensarem em perguntas. Neste momento, em que o público ganhou protagonismo, percebeu-se que a maioria ali já tinha comprado a briga da humanização. O que eles queriam era saber… como. Como humanizar a minha empresa? De que maneira mostrar aos líderes algo que na minha cabeça já faz tanto sentido? É possível criar ambientes nos quais as pessoas se sintam à vontade para serem elas mesmas? Como criar uma cultura de feedback (inclusive de liderados para líderes)?

“A autenticidade e a individualidade devem ser respeitadas, se não o discurso da diversidade vira só discurso”, respondeu Sebastião Faria Jr. a um participante que se mostrou indignado com empresas que levantam a bandeira da diversidade apenas como estratégia de marketing. “O importante é lembrar que pelo menos é um começo. Há dez anos nem isso tínhamos. Agora é pensar em como aproveitar esse discurso para trazer mudanças reais”, complementou Joy.

 

O case da Gol

Um case da La Gracia gerou particularmente maior interesse: o case da Gol. Num processo de um ano, reformulamos junto ao cliente a demanda apresentada, fizemos um diagnóstico das necessidades dos colaboradores, levantamos problemas que precisavam de atenção, montamos uma série de oficinas, exclusivamente para a Gol e cada uma para uma área diferente, capacitamos facilitadores dentro da própria empresa e, até hoje, trabalhamos questões como empatia, escuta ativa, comunicação não violenta, criar sentido, vulnerabilidade e cocriação em encontros periódicos na empresa. “O argumento foi: como você pode exigir que seu funcionário atenda bem o cliente quando internamente ele está sendo mal atendido pela empresa e por seu líder?”, explicou Joy. O resultado deste trabalho, claro, impactou a cultura da empresa como um todo. “A humanização é um processo, não acontece do dia para a noite. Ela exige coragem, mas também parceria e paciência”, finalizou a CEO da La Gracia.

Para os profissionais de RH ali presentes, o que a gente espera é que tenha ficado claro uma coisa: estamos juntos. Neste mar de tecnologia – mas, mais ainda, neste mar de velhas práticas e líderes perdidos frente tantas mudanças – a humanização chega para nos resgatar, nos melhorar, nos transformar.

 

E quem é quem, afinal?

“Certeza que ela é a pianista”, disse um rapaz sentado no fundo da sala. Pois… não. Joy era a menina que deixava a mãe louca levando para casa cachorros que encontrava na rua. Luiz foi quem deu aulas de história e Sebastião, acredite ou não, criava cabras. O pianista? Nosso querido Ed Conde (e esse é só um de seus muitos talentos escondidos).

Como somos muito mais do que o que nosso currículo mostra, não é mesmo?

 

Confira algumas fotos do evento =)

Humanize as
apresentações, as
relações e o aprendizado
na sua empresa.

Fale com a gente

Veja também

CEO DISTANTE E INTOCÁVEL? COMO HUMANIZAR A ORGANIZAÇÃO

Já passou da hora de repensar modelos e humanizar a organização. Cada vez mais, vemos publicações de colaboradores nas redes sociais expondo angústias que se transformaram em burnout, depressão, doenças mentais e até mesmo físicas. Ou denunciando o desalinhamento do discurso que o marketing vende lindamente para fora pras práticas aplicadas internamente pelas lideranças, pelo […]

Ler mais

POR UMA LIDERANÇA MAIS INCLUSIVA

Para falar sobre uma liderança mais inclusiva, começo o texto de hoje com uma pergunta: “Por que é tão difícil lidar com o que é diferente de nós?”  Não tenho pretensão de responder, afinal, essa é uma pergunta daquelas bem cabeludas, que exigiria reunir filósofos para uma discussão longa e calorosa, regada a vinho e […]

Ler mais

E quando você precisa de mais do que um tapa na apresentação?

“Dá um tapa na apresentação aí! É simples.” Se eu tivesse contado as vezes que ouvi certas frases nos últimos 13 anos, esse com certeza ganharia de todas. Nossa, quase todo mundo pede apresentação desse jeito. Mas só quem faz apresentação todos os dias sabe que não é tão simples assim. Uma apresentação boa de […]

Ler mais

Qual a diferença entre um slide bonito e um slide com design?

Muito além de criar um slide bonito, recentemente, no artigo “A La Gracia ainda faz apresentações?”, eu disse que a La Gracia nasceu criando conexão por meio de apresentações. E tudo o que a gente foi aprendendo, ao fazer apresentações para presidentes e executivos do corporativo, fomos levando para nossos cursos. E tudo o que […]

Ler mais

Qual a diferença entre promover experiência e expor conteúdo?

Promover experiência é a constante resposta, presente nos 12 anos em que venho experimetando as várias formas de ensinar. Cada vez mais, vou me tornando uma defensora das metodologias que colocam o aluno como centro do aprendizado. O contrário disso é o que o educador Paulo Freire chamava de Educação Bancária: aquele tipo de educação que coloca […]

Ler mais